quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Ciência Itinerante - EDP III - 2017.2


Boa noite pessoal !!

Na produção e criação deste - Ciência Itinerante viemos trazer um pouco mais de informação sobre como as plantas podem ser e de fato são indispensáveis para melhoria e equilíbrio da vida humana além das potencialidades já comumente conhecidas.
Para isso escolhemos dois temas, sendo eles:
-Desmitificando a erva proibida.
-Fitorremediação.

Para um informativo bem feito e que possa atingir sua missão com sucesso, percorremos o caminho objetivo da pesquisa no assunto, checagem de informações e fontes e busca de mais pesquisas que pudessem colaborar positivamente com nosso objetivo, que é informar sobre a eficácia do uso da planta Cannabis sativa no tratamento de doenças neurológicas (primeiro tema) e de como as plantas podem ser úteis para remediação de ambientes poluídos sejam eles terrestres, aquáticos e também o próprio ar que respiramos.
>No primeiro tema “Desmitificando a erva proibida” (Figura 1) procuramos de maneira direta e simples comunicar sobre a possibilidade de avanços no tratamento de doenças através do uso do princípio ativo Cannabidiol "CBD" como medicamento fitoterápico eficaz na diminuição de sintomas e melhora na qualidade de vida de pessoas que sofrem com alguns tipos de doenças neurológicas e até mesmo psicológicas. Na pesquisa encontramos resultados de universidades nacionais e estrangeiras que tratam de maneira positiva o uso deste princípio ativo e não foi difícil relacionar essa questão com a Anatomia Vegetal pois todo óleo fabricado é extraído através da planta sendo mais especificamente do CBD encontrado em seus tricomas presentes nas flores. São tricomas glandulares que armazenam a substância e ajudam na proteção da estrutura reprodutora (flor) da C. sativa. Achamos importante a abordagem deste tema pois a fitoterapia por muitas vezes pode ser uma saída mais simples e eficaz no tratamento de sintomas e doenças, visto que os próprios princípios ativos de remédios sintéticos são retirados ou sintetizados a partir de compostos orgânicos de plantas.
Além disto o tema é atualmente fonte de muitos debates e está em pauta no Superior Tribunal Federal (STF) a regulamentação do uso, comercialização e produção da planta para diversos fins o que implica numa possível melhora no oferecimento e legalização visto suas possibilidades medicinais que se mostram positivas até então. O grupo conseguiu diferenciar muitas informações a respeito da planta e seus possíveis uso além de junto perceber toda a questão social e de saúde que o tema envolve e com políticas de saúde e regulamentação adequada o que antes era problema agora pode ser uma das soluções para melhoria de vida de pacientes que buscam em remédios quimicamente sintetizados algum alívio para seus problemas.
>No segundo tema Fitorremediação (Figura 2.) foi mais complicado encontrar referências científicas visto que a fitorremediação mais conhecida é a de solo com processos químicos desenvolvidos pelas plantas cultivadas servindo de maneira a retirar do solo metais pesados. Porém com buscas mais detalhadas em ambos as áreas possíveis de se aplicar a fitorremediação, colhemos informações úteis sobre cada um dos processos nos ambientes (aquáticos, terrestres e do ar) e sucintamente colocamos de maneira simples e direta como cada uma pode ser feita, os locais que podem receber esta alternativa e também a importância sustentável de cada vez mais se usar dos meios naturais para que o ser humano desenvolve tecnologias capazes de mitigar um pouco dos malefícios do desenvolvimento desenfreado e suas negatividades que atingem não só a natureza como também a própria saúde humana. Jardins verticais em grandes cidades e até mesmo em ambiente domésticos, igarapés em ambientes aquáticos e plantio de determinadas culturas de plantas podem ser eficazes no tratamento do ambiente sem que se use tecnologias que demandem de mais investimento e processos químicos complexos.

Nos surpreendemos com as possibilidades que exigem mais tempo e dedicação porém em troca oferece maior qualidade e mostra que as respostas para os males causados pela interferência humana no ambiente muitas vezes estão na própria natureza degradada pelo mesmo. 

Por hoje é só pessoal, esperamos que gostem dos temas escolhidos e que possam ser úteis quando o assunto são as plantas e a melhoria da qualidade de vida que elas oferecem. Os assuntos foram interessantes tanto para pesquisa quanto para desenvolvimento do trabalho final abaixo apresentado. Obrigado pela atenção e viva as plantas e toda biblioteca viva existente em cada uma delas que assim como nós fazem parte da mesma natureza.

Que vivamos em harmonia, utilizando da maneira mais saudável possível toda as possibilidades oferecidas a nós pela natureza, a biologia agradece!

"Biologia é o estudo de coisas complicadas que têm a aparência de terem sido projetadas com um propósito"- Richard Dawkins

                                                                         Figura 1.
Trabalho 1: Desmitificando a erva proibida.


                                                                           Figura 2.

Trabalho 2. Fitorremediação.


Referências Bibliográficas:

- DE OLIVEIRA, M. T; PAIM, R. O USO TERAPÊUTICO DE CANABINÓIDES EM PACIENTES PORTADORAS DE DOENÇAS CRÔNICAS. Em: Congresso de Pesquisa e Extensão da Faculdade da Serra Gaúcha. 2015. p. 825-827.

- SANTOS, M. R. UTILIZAÇÃO DE FITOTERAPIA NÃO TRATAMENTO E / OU PREVENÇÃO DA DOENÇA DE PARKINSON. 2014. Tese de Doutorado.

- IROVIC, N. et al. Diferenciação de subespécies de cannabis por análise de genes de THCA sintase usando RFLP. Journal of Forensic and Legal Medicine, v. 51, p. 81-84, 2017.

- RIBEIRO, G. et al. FITORREMEDIAÇÃO DE METAIS PESADOS EM EFLUENTES UTILIZANDO Em: Congresso Mineiro de Engenharias e Arquitetura-CENAR. 2016.

- JAQUES E. "Fitofiltro: a cura do ar pelos jardins verticais", 2013. Disponível em: <http://atitudesustentavel.com.br/blog/2013/09/19/fitofiltro-a-cura-do-ar-pelos-jardins-verticais/> Data do acesso: 02/09/2017.

- PRIYANKA V. "Fitorremediação: um método salvador do meio ambiente", 2016. Disponivel em: <http://www.isfoundation.com/pt-br/news/fitorremediação-um-metodo-salvador-do-meio-ambiente> Data de acesso: 02/09/2017.

GRUPO: IARA SAMPAIO, ÍTALO LIMA, IZABELA GOMES E LETÍCIA FAUSTO.